Justiça manda prender os pais e o tio de bebê que morreu na UPA vítima de estupro

Na manhã deste sábado (14), foi decretada a prisão provisória dos  pais e do tio da criança de 08 meses que deu entrada já sem vida na Unidade de Pronto Atendimento da zona leste,  no final da manhã de sexta-feira (13). O pedido de prisão provisória foi solicitado à justiça  pelo delegado que atendeu  o caso na Central de Flagrantes, após interrogar  os três, que entraram em contradição.

O delegado não os prendeu em flagrante, mas decidiu solicitar  a prisão temporária até  a conclusão  das investigações e da perícia criminal.

O juiz plantonista decretou a prisão dos familiares da criança, que  foram levados para o presídio. Uma  criança de dois anos, irmã da que foi morta, ficou sob os cuidados do Conselho Tutelar até que algum parente assuma a guarda.

O CASO

Uma criança de oito meses de vida,  do sexo feminino,  deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA)  da zona leste da capital, no final da manhã desta sexta-feira (13). Minutos depois o médico que a  atendeu constatou  o óbito e acionou a Polícia Militar para atender a ocorrência. 

Pai, mãe e tio da criança foram levados pela PM à Central de Flagrantes para serem ouvidos.

Aparentemente, a criança pode ter sido vítima de estupro. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico legal para exames e elaboração de laudo que vai apontar a verdadeira causa da morte.

A polícia informou que, segundo o médico que recebeu o corpo na UPA, a criança apresentava violação no ânus e na vagina.

A mãe disse à polícia que acordou por volta das 8 horas, deu de mamar e voltou a dormir porque estava com uma sonolência muito grande, voltando a levamntar somente por volta das 10h30. 

No terreno onde aconteceu o fato existem duas casas. A mulher foi para o imóvel da frente e, devido ao forte calor,  deixou a filha dormindo nua, apenas com um lençol a cobrindo.

Saiba mais:

O pai e o tio também estavam na casa da frente. Na de trás ficaram apenas a pequena vítima e o irmão, também criança.

A mulher disse ter ouvido o grito do filho e foi verificar o que havia acontecido, já se deparando com a cena macabra.

Fonte: Tudo Rondônia

Deixe sua opinião...